Criptomoedas: as opções para apostar e a possibilidade de legalizar

Não é novidade que as criptomoedas como o bitcoins (BTC) estão circulando pelo mundo. Os governos buscam aprovar regulações locais que permitam aos cidadãos pagar e receber dinheiro com a primeira moeda descentralizada e digital. O rubro das apostas não é uma exceção. No Brasil os estudos mostram que 48% da população apoia o uso das criptomoedas. No país há muitas opções para desfrutar por exemplo de jogos de cassino usando BTC para saques e depósitos. Alguns só permitem apostas em cripto e outros, chamados híbridos, também em moedas tradicionais como segunda alternativa.

cassino Bitcoin
cassino Bitcoin

As opções para jogar e apostar em criptomoedas 

Trust Dice é uma plataforma com mais de 2000 jogos e um casino Bitcoin que oferece esta possibilidade junto a outras cripto como Ethereum (ETH), Eos e Tether (USDT). Em Trust Dice você pode encontrar bônus incríveis, zero taxas de saque e um veloz suporte ao cliente com soluções em 90 segundos. Até agora foram feitas mais de 243.133.381 apostas com aproximadamente $2.272.708,76 distribuídos. Em Trust Dice você pode jogar roleta, blockchain ou tragamonedas.

Atualmente o Brasil não utiliza o BTC como moeda para transações comuns. Outros países como El Salvador estão trabalhando em novas formas de legalização oficializando o uso das criptomoedas. Outra notícia importante para El Salvador foi o anuncio do presidente Nayib Bukele, quem tem a ideia de criar uma nova cidade financiada com bitcoins.

No Brasil, o deputado federal do estado de Paraná, Áureo Ribeiro, do partido Solidariedade do Rio de Janeiro, é um dos referentes políticos que busca uma regulação “para que você possa transacionar, saber onde está comprando, saber com quem negocia”. A proposta de Ribeiro é ter um ativo diferente na hora de comprar casas, carros, e que o BTC seja uma moeda comum e conhecida no Brasil.

A Câmara dos Deputados nacionais também tem entre seus projetos uma proposta do republicano paranaense Luizão Goulart para receber opcionalmente salários em criptomoedas no setor público e no privado. Goulart considera que existe uma “quarta revolução digital” que precisa de adaptação, reinvenção e progresso no “caminho da modernidade” para facilitar “o dia a dia do cidadão” e melhorar sua qualidade de vida.

Outro anúncio importante do assunto saiu da empresa Mercado Livre: desde o mês de novembro todos os brasileiros podem realizar transações com criptomoedas como o BTC no território nacional. O vice-presidente de Mercado Pago, Tulio Oliveira, explicou que a companhia dedicou um tempo de estudo para aprender sobre criptomoedas e descobriu que existe um interessante “potencial de transformação pela frente”. É por isso que celebrou porque se abre “um novo caminho”. A decisão poderia se estender a outros países do continente como a Argentina, mas atualmente o Brasil é o maior mercado da empresa na América Latina.  

A utilização de criptomoedas chegou ao mundo para ficar. O Brasil ainda está se adaptando nos diferentes rubros da vida cotidiana como a política, o trabalho, as apostas e os cassinos. É só questão de passo do tempo para que seja uma prática comum como outras.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ative nossas Notificações    CLARO QUE SIM!! :(